logo
facebook     youtube
NOTÍCIAS

Desembargador Manoel Calças recebe entidades de classe

22
FEV
2018

As entidades representativas do Poder Judiciário do Estado de São Paulo se reuniram, nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, com o presidente do Tribunal de Justiça e respectivos assessores, tanto da área jurisdicional como da administrativa, a fim de dar inicio as negociações da Campanha Salarial 2018.

 

 

No início da reunião o presidente do Tribunal de Justiça apresentou as propostas para o seu mandato que são: Pagamento da data-base em sua integralidade (índice ainda a ser fechado até o início de março), correção dos auxílios transporte, alimentação e saúde pela inflação do período de 12 meses, implantação do instituto do acesso, valorização dos servidores, manutenção do instituto da remoção. Garantiu a permanência no cargo de coordenadores e supervisores de cartório que não possuem grau superior, em número de 300 mediante a propositura de mandado de segurança contra determinação do Conselho Nacional de Justiça, ou seja, os funcionários que se encontram nessa situação ficarão no cargo até que a questão seja efetivamente resolvida uma vez que foi concedido o prazo de 120 dias para solucionar a questão; além de parcerias com unidades de saúdes para atendimento hospitalar, ambulatorial e clínico, bem como com instituições de ensino superior nas áreas de gestão, tecnologia de informática e pedagogia institucional para oferecerem curso de capacitação aos servidores.

 

 

Antes mesmo de ser indagado quanto a redução de jornada de trabalho, retirada de auxílio alimentação, suspensão de nomeação de assistente jurídico, em sua fala, Pereira Calças denominou os assuntos supra de “boataria”, firmando, na ocasião, que no decorrer de sua gestão, “nenhum direito será retirado, não admito qualquer retrocesso”, concluiu o desembargador.

 

 

Utilizando-se das frases “pauta é para avançar”, “o objetivo é conseguir o máximo para todos”, “vou me empenhar para que não haja nenhum retrocesso, é um compromisso”, “princípio maior é o da legalidade”, “vou trabalhar em prol do servidor em geral para uma ótima qualidade de vida, boa remuneração e local adequado de trabalho”, “critérios objetivos” e “a impessoalidade tem que ser aplicada” o desembargador Manoel Calças intitulou-se como “defensor intransigente dos pleitos que forem possíveis”

 

Em sua fala o presidente da ASSOJURIS afirmou que existem mais pleitos da categoria que não podem ser esquecidos tais como pagamento das perdas acumuladas atrasadas, nível universitário para escreventes, equiparação dos salarial de escreventes chefes dos setores SEF, CEJUSC, Colégio Recursal e nas unidades de administração nas entrâncias inicial e intermediária aos de supervisor e/ou coordenador, no que couber, dentre outros.

 

 

Quanto ao serviço extraordinário, indagado por Alemão sob argumento da ASSOJURIS ter ingressado com Pedido de Providências para corrigir ato emanado no Comunicado nº 12, que que “suspendeu o serviço extraordinário”, o desembargador Pereira Calças, auxiliado pela juiza assessora Tatiana Magosso esclareceu que já está adotando medidas no sentido de corrigir tal situação de modo a permitir que os servidores que eventualmente exercerem atividade além do horário de expediente lancem referidos créditos em banco de horas, ocasião em que com a palavra Alemão solicitou a publicação oficial de tais providências.

 

Pardal, por sua vez fez questão de registrar sua discordância e preocupação quanto a nomeação de terceiros, não servidores, para exercerem cargos tidos como alto nível de cúpula no TJSP com o que estar-se-á valorizando o plantel de servidores concursados já existentes no Tribunal.

 

 

Para finalizar, a juíza assessora da presidência Paula Lopes Gomes esclareceu “já estar sendo regularizado a digitalização dos prontuários dos servidores para que possam ser disponibilizados eletronicamente, encerrando a reunião, o presidente manifestou-se no sentido de que “o mínimo está garantido e os pleitos serão apreciados” e que estará aguardando a apresentação da pauta reivindicatória a fim de as reivindicações sejam discutidas

 

[]